AM 1440 - A cor que você ouve

Nova Odessa retira menos água e abastece maior população nos últimos anos

Município reduz as perdas na rede e incentiva uso consciente dos recursos hídricos

A quantidade de água retirada das represas de Nova Odessa para o tratamento e depois distribuição à população diminuiu nos últimos anos, enquanto a população cresceu. Com um trabalho de investimentos em obras e melhorias, além da redução nas perdas de água tratada na rede, que caíram de 43%, em 2012, para 25% atualmente, o município consome o recurso natural de modo consciente e sustentável.

Em 2013, Nova Odessa retirava das represas de abastecimento para tratar e distribuir diariamente 16,183 mil metros cúbicos (m³) de água, ou seja, 16,183 milhões de litros. Mas passados seis anos, o município utiliza 14,037 mil m³ diários – 14,037 milhões de litros de água. Ou seja, é uma economia de aproximadamente 2,1 mil m³ de água por dia, uma quantia que abastece cerca de 10 mil moradores diariamente.

No ano de 2013, a população de Nova Odessa estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) era de 55.229, enquanto em 2018 é de 59.371. “Nos últimos anos a cidade ganhou mais de 4 mil habitantes, mas a quantia de água retirada e tratada para abastecimento é menor, graças ao trabalho de perdas de água na rede e os investimentos”, destaca o diretor-presidente da Coden, Ricardo Ongaro.

Além da conscientização popular sobre a necessidade de gasto consciente de recursos hídricos, a redução na quantidade tratada é resultado do trabalho de diminuição do índice de perdas. Através da troca de redes, de adutoras e de hidrômetros, além da substituição de adutoras e de hidrômetros, o controle de pressões e a setorização, o município reduziu as perdas de 43% para apenas 25%.

O número de ligações de água também aumentou, passando de 20.491 (em 2013) para 24.284, um aumento de 3.793 unidades consumidoras. “Com bastante trabalho conseguimos diminuir a utilização do recurso hídrico para atender uma demanda maior”, reforça Ongaro. Em breve será iniciada a construção da ETA (Estação de Tratamento de Água) Santo Ângelo, a 2ª da cidade e que elevará a capacidade de tratamento de água para 105 mil pessoas.

O prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, é presidente do Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Consórcio PCJ) e cita os investimentos feitos nos últimos anos. “Com trabalho de desassoreamento nas represas, recuperação de nascentes e troca de redes, diminuindo as perdas de água tratada, Nova Odessa possui hoje segurança hídrica”, cita. “Mesmo assim”, pondera Bill, “as pessoas precisam continuar consumindo água com consciência”.

Conforme detalha o prefeito, o objetivo é chegar ao índice de 20% nas perdas físicas de água até o ano de 2020, uma meta estipulada no Plano Diretor de Combate às Perdas de Água Tratada. “É um índice de países de Primeiro Mundo e dos melhores no Brasil”, completa Bill. Desde 2013 já foram investidos mais de R$ 40 milhões em obras e benfeitorias na área de saneamento em Nova Odessa.

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

× Fale Conosco!